Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

REFER lança primeiro concurso para linha de mercadorias de Sines

Este é o pontapé de saída para arrancar com o investimento na linha ferroviária de mercadorias entre o porto e a fronteira com Espanha.
Refer lança primeiro concurso para linha de mercadorias de Sines

A Refer anunciou esta terça-feira que consignou a obra relativa à construção da nova estação técnica de cruzamento de comboios que irão circular na futura ligação ferroviária entre o porto de Sines e a fronteira espanhola, junto ao Caia. Trata-se da primeira empreitada para avançar com este projecto, considerado uma infra-estrutura prioritária pelo GTIEVA - Grupo de Trabalho para as Infra-estruturas de Elevado Valor Acrescentado e pelo mais recente PETI - Plano Estratégico de Transportes e Infra-estruturas.


Em causa está um investimento com um valor global de cerca de quatro milhões de euros, mas que é qualificado como "relevante" pela gestora da rede ferroviária nacional e se enquadra na estratégia do Governo de privilegiar os modos ferroviário e portuário, nomeadamente no segmento do transporte de mercadorias.


A futura estação técnica de cruzamento de comboios irá situar-se ao quilómetro 118,5 da linha do Sul, entre a estação de Canal Caveira e o apeadeiro de Azinheira dos Barros.
Segundo a empresa liderada por Rui Loureiro, este investimento "visa o aumento da capacidade do itinerário Sines - Ermidas - Grândola e viabilizará o cruzamento de comboios de 750 metros de comprimento, reforçando as condições de exploração de comboios de mercadorias com origem e destino no porto de Sines".


"O traçado da estação técnica, com uma extensão de 1,1 quilómetros, desenvolver-se-á paralelamente à linha do Sul, o que permitirá que a obra decorra sem grandes interferências na exploração ferroviária actual", garante a empresa em comunicado.


O projecto engloba as empreitadas de construção da estação técnica, adjudicada ao consórcio Somafel/Conduril pelo valor de cerca de 1,7 milhões de euros, assim como a empreitada de concepção, fornecimento e montagem de sinalização electrónica adjudicada à Siemens, pelo valor de 960 mil euros.


O projecto engloba ainda a empreitada de concepção e fornecimento/montagem do sistema de controlo automático de velocidade, adjudicada à Bombardier Transportation Portugal, pelo valor de cerca de 192 mil euros, e a prestação de serviços de instalação dos sistemas de telecomunicações, com um valor associado de cerca de 20,3 mil euros, e que será assegurada pela Refer Telecom, empresa do Grupo Refer.


"Os trabalhos correspondentes às referidas empreitadas decorrerão entre Maio e Dezembro de 2014, sendo a sua gestão, coordenação, fiscalização, coordenação de segurança em obra e assessoria técnica para a aprovação de projectos, ensaios de ‘software', ensaios no terreno e colocações em serviço, assegurada pela Refer Engineering, também ela empresa do Grupo Refer", adianta a empresa.


Esta é também a terceira empreitada lançada pela Refer desde Março, após um período de cerca de três anos em que o marasmo e a ausência de concursos públicos reflectiu a política de contenção de custos e a austeridade seguidas pelo Governo e impostas pelo memorando de entendimento assinado com a ‘troika'.


A primeira empreitada da empresa, lançada a 10 de Março, respeitou à electrificação da linha do Douro, no troço Caíde-Marco de Canaveses, por um valor-base de 6,4 milhões de euros. A segunda empreitada, lançada a 27 de Março, tem um valor-base de cerca de 40 milhões de euros e respeita à modernização da linha do Norte, no troço entre Alfarelos e Pampilhosa, com uma extensão de cerca de 40 quilómetros.

fonte