Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

AÇORES

Novo regime do trabalho portuário aprovado

A Assembleia Legislativa aprovou, por proposta do Governo dos Açores, o diploma que adapta à Região o regime jurídico do trabalho portuário e estabelece normativos sobre formalidades respeitantes ao efectivo dos portos do Arquipélago.

Com esta iniciativa, pretende-se adaptar a “orgânica do regime jurídico do trabalho portuário na Região Autónoma dos Açores, actualizando a identificação dos órgãos e serviços da administração regional competentes para aplicação desse regime na Região”, afirmou o vice-presidente do Governo na apresentação da proposta.

Sérgio Ávila apontou ainda como objectivo desta adaptação legislativa a instituição de “procedimentos de comunicação e registo do efectivo dos trabalhadores das empresas de estiva e das empresas de trabalho portuário afectos a cada porto sob administração da autoridade portuária dos Açores, a Portos dos Açores”.

Desta forma, sublinhou o vice-presidente, será possível manter “um registo actualizado do efectivo dos trabalhadores afectos a cada porto sob jurisdição da autoridade portuária dos Açores, o que permitirá igualmente o reconhecimento e integração destes trabalhadores no efectivo portuário nacional, o que não se verificava actualmente por falta de previsão normativa”.

Sérgio Ávila frisou ainda que, com esta iniciativa legislativa, é alargado “em oito meses o período de alteração das disposições constantes de instrumento de regulamentação colectiva de trabalho de conteúdo contrário ao disposto no Decreto-Lei n.º 280/93, de 13 de agosto, alterado pela Lei n.º 3/2013, de 14 de Janeiro, o que se traduz numa extensão do prazo para as empresas de estiva poderem adaptar os ACT às alterações introduzidas ao regime jurídico do trabalho portuário”.

O vice-presidente salientou que a proposta de Decreto Legislativo Regional apresentada pelo Executivo “obteve o parecer favorável dos sindicatos dos trabalhadores portuários da Região (SINPCOA, SITGOA e Sindicato dos Trabalhadores Portuários da Ilha Terceira) e das entidades patronais, desde logo as empresas de estiva”.

fonte