Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Rio Douro é a primeira opção para o transporte do minério de ferro de Moncorvo

Responsáveis pela MTI - Ferro de Moncorvo, SA, anunciaram que o transporte por via fluvial, no Douro, do minério de ferro que sair da Serra do Reboredo é uma opção viável, que está ser "seriamente equacionada".

"Temos já em fase de anteprojeto a construção de navios de transporte de minério de ferro adequados a navegar no rio Douro, já que no mercado não foi possível encontrar embarcações com características de calado adaptadas ao curso de água", disse à agência Lusa o presidente da MTI, Vítor Correia.

Os estudos para o desenvolvimento dos navios já foram efetuados e as embarcações poderão mesmo ser construídas em estaleiros nacionais.

"Se tudo correr como desejarmos, fará todo o sentido que as embarcações sejam constituídas em estaleiros portugueses, para que os impactos económicos não sejam repercutidos só nesta região, mas também ao nível nacional", afiançou Vítor Correia.

A MTI está considerar duas opções em simultâneo e que passam pelo transporte fluvial e também pela construção de um mineroduto.

"A opção do transporte fluvial terá de ser seriamente ponderada já que aquela que mais rápido de poderá colocar a trabalhar. O mineroduto é sempre uma opção mais demorada", frisou o responsável da MTI.

No entanto, ficou a garantia de que o projeto se vai prolongar por várias dezenas de anos, pelo que não faria sentido iniciar no imediato a construção do mineroduto.

fonte