Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

HIPPOTRIP

Em Lisboa há autocarros no rio

Se vir por estes dias um "autocarro" a navegar rio Tejo acima, rio Tejo abaixo, olhe melhor. É que a ideia que Frank Lewis Alvarez teve em 2005 - enquanto fazia um MBA em Harvard - foi finalmente posta em prática.
Os primeiros negócios de turismo anfíbio começaram a aparecer em 1994 e a ideia de criar um projeto do género em Portugal nunca foi posta de parte.

Por isso, logo que pôde, Lewis Alvarez criou a Hippotrip, uma empresa portuguesa financiada por sócios luso-canadianos num investimento de 1,5 milhões de euros até à data (ainda que os objetivos da empresa sejam os de ter quatro veículos em circulação - o que exigirá um investimento superior a 3 milhões de euros com uma expectativa de recuperação de investimento de entre 3 a 5 anos).

Depois da primeira viagem - na passada sexta-feira - a Hippotrip quer ter o segundo autocarro a navegar pelo Tejo (por enquanto há um em funcionamento) até ao final deste ano.

"O lançamento destes passeios anfíbios traz inúmeros benefícios para a comunidade local, sendo uma actividade pioneira na Península Ibérica: impulsiona a indústria do turismo na cidade de Lisboa, gerando dividendos para o estado português, contribuindo para a criação de novos postos de trabalho e sendo uma motivo de orgulho para os habitantes da cidade", explica a empresa ao Dinheiro Vivo.

Os anfíbios navegantes têm o casco de alumínio com base num chassis da Mercedes-Benz e capacidade para 37 passageiros mais um condutor e um guia. E não se pense que foi fácil pôr o navegante em água fluvial: a empresa diz que foram necessárias dezenas de licenças das mais diversas entidades, Administração do Porto de Lisboa, Capitania do Porto de Lisboa e Câmara Municipal incluídas.

Para o arranque, a Hippotrip vai contratar entre 8 a 10 trabalhadores mas a expectativa, garantem os fundadores, é chegar aos 30 quando os quatro veículos estiverem em funcionamento.

A viagem começa na Doca de Santo Amaro, passa pelo Marquês de Pombal, Jardim da Estrela e termina, depois de um passeio no rio, no centro náutico de Algés. O passeio de 90 minutos inclui terra e água, tal como se percebe pelo percurso. Agora, o anfíbio lisboeta só trabalha de Sexta a Domingo mas a partir de junho a equipa conta trabalhar todos os dias da semana. A primeira viagem do dia começa às 9 horas e custa 25 euros para os adultos e 15 euros para crianças (dos 2 aos 16 anos) e para seniores (maiores de 65 anos).

FONTE

TEJO VIGNETTE - GALERIA DE 120 FOTOS