Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

Muco de peixe poderá ser tecido para criar roupa do futuro

O myxa, uma espécie de peixe do Pacífico e do Atlântico sem maxilar e espinha dorsal, solta uma substância viscosa extremamente concentrada que serve de autodefesa e esta poderá ser usada como tecido para fabricar a roupa do futuro, segundo uma equipa de investigadores da Universidade de Guelph, no Canadá.

Também conhecido como peixe-bruxa, este animal liberta o muco nos seus predadores para que desistam do ataque para não morrerem asfixiados. Os myxini nadam em águas muito profundas, com baixa visibilidade, e alimentam-se essencialmente de restos de baleias mortas.
Segundo Tim Winegard, que estuda as fibras encontradas no muco, o peixe-bruxa, sobreviveu após os dinossauros e a diversos outros processos de extinção em massa. Há mesmo um fóssil do myxini, completo e com evidências de glândulas produtoras de muco, que foi datado com mais de 300 milhões de anos.

Este peixe possui cerca de 100 glândulas de produção de muco, que libertam uma substância leitosa, viscosa e com fibras. Quando esta se mistura com a água do mar, expande-se, criando grandes quantidades de um muco translúcido, composto por fibras extremamente fortes e elásticas. Essas fibras, quando esticadas na água, tornam-se sedosas.

Os cientistas acreditam que o muco do myxini pode ser transformado em roupas desportivas ou, ainda, em coletes de protecção contra armas, em alternativa a fibras sintéticas como o nylon, lycra ou o spandex, que são produzidos a partir do petróleo.

No entanto, ainda falta saber como aumentar a produção desta substância dos myxini. Os especialistas afirmam que esse processo seria improvável em laboratório, já que o peixe parece não se reproduzir muito bem em condições de cativeiro.

A equipa espera conseguir reproduzir artificialmente as proteínas encontradas no muco – um método semelhante ao usado para produzir a seda de aranha. No entanto, ainda se mantém complicado. Os investigadores tentam retirar com pinças as fibras de uma membrana muito fina, formada pela proteína extraída do muco do peixe-bruxa. Quando a membrana é destruída, pequenas fibras são formadas.

Se a equipa tiver sucesso na extracção dessa nova fibra, poderemos estar vestir em breve uma camisola criada com este novo tecido.

fonte