Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




POR VÍTOR CALDEIRINHA

Canal do Panamá

O Canal do Panamá vai comemorar seu centenário, efeméride que corresponde a uma nova fase nas suas operações. O projecto de expansão, estimado em biliões de dólares, vai permitir lidar com navios porta-contentores de 12.000-15.000 TEU, dependendo da configuração do navio.
Este projecto tem vindo a provocar uma ampla discussão sobre o impacto na distribuição de mercadorias a nível global, havendo quem defenda um forte impacto e outros que defendem que a expansão terá um limitado impacto perceptível.

MIGUEL ESTEVES CARDOSO

As sardinhas de 2016

As nossas sardinhas são boas e as nossas conservas de sardinhas são não só boas como tidas em boa conta, não só no mundo como no mundo das conservas. Os nossos melhores conserveiros estão em Matosinhos, nos Açores e em Olhão.
Não têm é o savoir-faire dos franceses.

POR VÍTOR CALDEIRINHA

PORTOS DA REGIÃO DE LISBOA - Melhorar a Articulação dos Investimentos

´Há anos que algumas pessoas têm vindo a defender uma maior articulação entre os portos da região de Lisboa, designadamente em matéria de investimentos e desenvolvimento das capacidades com vista a melhor servir a região e o País.
Costumo definir a Região de Lisboa como “uma região com três margens”, duas do Tejo e uma do Sado, que normalmente é esquecida nas políticas de transportes da região ou relegada para a periferia, designadamente em matéria portuária.

ZONAS MARÍTIMAS

Como se dividiu o mar

Sendo verdade que não é possível sustentar uma relação directa entre dimensão territorial de um Estado e o seu poder, é inquestionável que a percepção de grandeza espacial é um verosímil indício de força. Nos preceitos que levaram Ray S. Cline à criação da sua fórmula do poder é mesmo possível concluir que abaixo duma determinada extensão o poder de um Estado é irrisório.
Historicamente, tal como as áreas emersas, o mar é um espaço que originou disputas intra-estaduais, catalisadas por vácuos de poder decorrentes da inexistência de um ordenamento jurídico internacional das áreas marítimas.

POR VÍTOR CALDEIRINHA

Regiões Logísticas Multi-portos

A contentorização forneceu o mecanismo para a expansão internacional dos mercados, melhorando a fiabilidade, flexibilidade e os custos de distribuição. A convergência desses factores permitiu a definição de cadeias globais de abastecimento, muitas com base no princípio de "just-in-time ", que é uma integração da velocidade com as estratégias de produção e de distribuição.

POR RICARDO PAULO

366 X 49 X 15

90 X 60 X 90 são medidas de que todos já ouvimos falar. Medidas padrão de uma mulher fisicamente perfeita. São a referência da moda em todo o mundo, o guião dos estilistas, o Santo Graal de qualquer modelo feminino que se preze. Imaginemos agora que esse padrão sofria alterações. Será que conseguimos idealizar a proporção da mudança a que estaria sujeita a indústria da moda?

POR RICARDO PAULO

Porta Atlântica da Europa vai entrar nos carris?

Apesar de ainda não ter sido apresentado publicamente, já vários jornais publicaram muitas daquelas que se julgam ser as ideias-chave do novo Plano Estratégico dos Transportes 2011-2015. Ora, se a essas notícias juntarmos as palavras proferidas pelo Secretário de Estado dos Transportes no seu discurso do passado dia 13 de Outubro no Congresso da APLOG – Associação Portuguesas de Logística, em que afirma: “Escolhemos os portos e a ferrovia de mercadorias como vectores determinantes de acréscimo de competitividade”, facilmente se percebe que Portugal joga na logística - como suporte às exportações - uma forte cartada do nosso desenvolvimento económico. Parece claro que este Governo aposta na continuidade da ideia de Portugal como Porta Atlântica da Europa.

S. POMPEU SANTOS

Alta velocidade ferroviária: desatar o nó

S. Pompeu Santos, engenheiro civil, escreve sobre a alta velocidade ferroviária no Diário de Notícias. Para ler aqui.

POR VÍTOR CALDEIRINHA

Portos em Proximidade

Um dos grandes temas de investigação recente na área portuária tem sido a questão da competição e cooperação entre portos em proximidade. Esta questão coloca-se cada vez mais por dois motivos: 1) Devido à melhoria das ligações terrestres aos hinterlands dos portos, nas vertentes de infra-estrutura de transporte e áreas logísticas, meios de transporte, organização logística e sistema de informação, alargando-os e sobrepondo-os de tal forma que os clientes importadores e exportadores passaram em poucos anos a ter opções de escolha como nunca tinham tido, lançando os portos numa competição aguerrida com vantagens para o mercado. Isto apesar de ser uma competição muito distorcida na Europa devido aos fortes apoios dos estados e da União Europeia aos investimentos.

POR RICARDO PAULO

A ligação Aveiro – além Salamanca

À luz das transformações que ocorrerão na rede ferroviária da Região Centro e de Castela e Leão, surge aqui uma enorme janela de oportunidade para um estreitar de relações (já de si fortes) entre estas regiões e as suas infraestruturas logísticas, a Zaldesa (Cylog) e o Porto de Aveiro. Numa perspectiva de dimensão europeia, está dado o passo para que a Região Centro de Portugal e Castela e Leão se tornem, em termos logísticos, numa única região que define o hinterland natural do Porto de Aveiro.

Cooperação em Português… da Diplomacia… à Acção nos territórios

Num momento tão decisivo da vida económica e social do Povo Português, torna-se absolutamente crítica a definição dos grandes rumos estratégicos da nossa sociedade para Portugal. Neste sentido, sem dúvida, um dos eixos estratégicos fundamentais da nossa acção política e social deve ser a correcção da estratégia do passado, e a aposta decisiva e estratégica na cooperação em rede com os Países de Língua Portuguesa, espalhados pelo mundo.

OPINIÃO

A propósito do «mar patrimonial» brasileiro

Segundo notícia publicada no portal da APP, o ministro da Ciência e Tecnologia do Brasil, Aloizio Mercadante, defende a necessidade do seu país “conhecer os 4,5 milhões de quilómetros quadrados do mar territorial brasileiro e da zona económica exclusiva do país…"
Este objectivo, que se saúda e vem na linha de estratégias similares seguidas por outros países, entre os quais se inclui Portugal, carece de algumas precisões. É o que pretendo fazer nas próximas linhas.
Na realidade os 4,5 (o número mais correcto é 4,4) milhões de quilómetros quadrados correspondem ao território submerso que o Brasil irá apresentar caso a comissão de limites da plataforma continental da ONU aprove a sua proposta de alargamento, e não à área do seu mar territorial, nem mesmo à soma da área do mar territorial com área de zona económica exclusiva.

A PROFESSORA UNIVERSITÁRIA E INVESTIGADORA SALIENTA A QUALIDADE DOS PORTOS PORTUGUESES

Economia do mar e emprego

Devido às suas características geofísicas, os portos portugueses são muito competitivos (vide, por exemplo, o Porto de Sines, o maior porto de águas profundas da Europa) pelo que, estimando-se um potencial de crescimento do comércio marítimo no médio e longo prazo, o crescimento da actividade portuária imporá a construção e a expansão de terminais e de plataformas logísticas associadas.
 

ARMANDO TEIXEIRA CARNEIRO:

Desenvolvimento de projecções logísticas, especiais e autónomas, em direcção à Europa, são vitais para a Zona Centro

A Região de Aveiro desde sempre teve características específicas e diferenciadas relativamente ao resto do País, de entre as quais uma das mais importantes é a elevada capacidade de empreendedorismo e de propensão para o investimento reprodutivo. Mas para que tal característica se possa desenvolver e servir de elemento catalisador na tessitura económico-social da Região é importante que as suas condições de criação de infra-estruturas, nomeadamente a nível formativo superior e a nível profissional, possam ser desenvolvidas sem entraves e constrangimentos, muito menos dependências.

POR ANTÓNIO JORGE COSTA

O Verão 2011 e o turismo em Portugal

Segundo dados da Organização Mundial do Turismo, as chegadas internacionais de turistas cresceram 4,5 por cento no primeiro quadrimestre deste ano, com todas as regiões a apresentar resultados positivos, à excepção do Médio Oriente.
Também em Portugal os resultados são positivos. Segundo dados do Turismo de Portugal, no primeiro trimestre de 2011, as receitas do turismo atingiram 1,3 mil milhões de euros e representaram, face ao trimestre homólogo de 2010, um acréscimo de sete por cento (mais 83 milhões de euros).Segundo dados da Organização Mundial do Turismo, as chegadas internacionais de turistas cresceram 4,5 por cento no primeiro quadrimestre deste ano, com todas as regiões a apresentar resultados positivos, à excepção do Médio Oriente.

CLIPPING REVISITADO

Medir a eficiência dos portos

Os grandes terminais de transhipment são os mais eficientes na utilização dos recursos, o que se explica pela natureza destes tráfegos e pela conjugação mais eficiente entre os navios-mãe e os navios alimentadores.

POR VÍTOR CALDEIRINHA

Livro Branco e novo Porto de Jade-Weser, na Alemanha

A Comissão Europeia apresentou recentemente o novo livro branco para os transportes da União Europeia, que designou por "Roteiro do espaço único europeu dos transportes - Rumo a um sistema de transportes competitivo e económico em recursos".
No que ao transporte marítimo e aos portos diz respeito, a principal novidade é o objectivo de criação de uma "cintura Azul" no mar, em torno da Europa e países vizinhos, onde o transporte marítimo beneficie com a facilitação de procedimentos para os serviços intra-europeus e com países próximos. No entanto, nada é referido sobre como deverá ser prosseguido este objectivo, que parece muito importante, mas que encontra adversários nas diferentes alfândegas e entidades públicas portuárias europeias.

POR ELISABETE SERRANO

Mar, turismo e cidades - três domínios do projecto do novo terminal de cruzeiros do Porto de Leixões

Está em curso no Norte de Portugal um projecto que interliga três domínios identificados como fulcrais para o século XXI: o mar, cada vez mais estratégico; o turismo, com grande potencial multiplicador; e as cidades, enquanto vectores de transformação das economias e sociedades.

POR JORGE DAVID ROSA REIS

A pesca lúdica em Portugal

Em 2009 foram emitidas pela Direcção-Geral das Pescas e Aquicultura (DGPA), 165.452 licenças de pesca lúdica, o que atesta a importância e o crescimento desta actividade.

POR FERREIRA FERNANDES

Em vez de atum pesquem bidões

Como já se sabe, nem tudo que vem à rede é peixe. E ainda vamos saber mais: a Comissão Europeia propôs aos pescadores capturarem plástico. Os mares e os oceanos têm cada vez menos peixe, os pescadores têm menos que pescar - e a comissária de Pesca da União Europeia, a grega Maria Damanaki, inspirou-se em Maria Antonieta. "Não têm pão? Comam brioches", diz-se que disse a rainha.

Total: 151
1 2 3 4 5 6 [7] 8