Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




O MAR NOS LIVROS

Tratado da Esfera

A obra de Sacrobosco mais divulgada, o Tratado da Esfera, foi o compêndio de astronomia e cosmografia mais usado do século XII ao século XVII. Tratava-se de um manual para uso de estudantes, das classes mais ligadas ao quadrivium, contendo as definições, já bastante difundidas, da esfera celeste, dos pólos e eixo do mundo, tal como a sua forma; os vários círculos traçados na esfera celeste – horizonte, meridiano, verticais – usados na astronomia; o nascimento e ocaso dos astros; a desigualdade dos dias e das noites e as sua variações com a latitude e a época do ano; os movimentos dos planetas segundo as ideias de Ptolomeu; as causas dos eclipses do Sol e da Lua. O sucesso do manual deveu-se, essencialmente, à forma como os assuntos estavam redigidos, de maneira concisa e simples, acessível não só a uma população universitária que não parava de crescer, como também podiam ser usados por quem tivesse o mínimo de escolarização.

BIBLOS

Literatura de Viagens

Um dos legados mais importantes dos Descobrimentos Portugueses é, sem dúvida, a volumosa produção literária daí resultante, a qual tem sido designada por literatura de viagens.

Trata-se de um extenso conjunto de obras que, longe de ser homogéneo, encerra os mais diversos aspectos directamente relacionados com as navegações portuguesas do século XV até às primeiras décadas do século XVII, bem como a apreensão dos novos espaços, gentes e culturas contactados. Numa tentativa de compreensão e racionalização dos «mundos» descobertos, a escrita surge como um suporte de fixação, organização e divulgação das novas realidades experimentadas e vividas pelos viajantes portugueses, dando origem a um novo quadro cultural que rompe definitivamente com o horizonte mental da Europa medieval.

SUGESTÃO DE LEITURA

Lisboa à beira Tejo 1860 | 2010

Lisboa à beira Tejo, com organização e coordenação de José Sarmento de Matos, dá a conhecer a relação da cidade com o rio num manancial constante de surpresas que alimentam a diferença lisboeta. A atracção pelos aspectos peculiares dessa coabitação criativa ganhou especial enfoque com a disseminação da fotografia, na segunda metade do século XIX, prendendo ao sabor do acaso a pluralidade de facetas que fizeram o dia-a-dia desse universo ribeirinho em mutação permanente.

O MAR NOS LIVROS

O Porto nas Navegações e na Expansão

Obra de peso para a história dos Descobrimentos, desta feita através de homens do Porto e da importância da mesma cidade na constituição do Império Português. O autor desta obra foi professor da Universidade do Porto e bolseiro do Instituto de Alta Cultura.

O MAR NOS LIVROS

O Cais do Sodré em Postal Antigo

O velho sítio dos Remolares, denominado posteriormente Cais do Sodré, foi local de inspiração de fotógrafos desde que esta profissão/actividade adquiriu estatuto e destaque. A colecção de postais ilustrados antigos presente neste livro revela ao leitor a importância urbana do Cais do Sodré e da Avenida 24 de Julho que abriram a vertente da Lisboa Ribeirinha, a partir da área pombalina consolidada para a urbanização dos novos espaços conquistados ao Tejo, em resultado de demorado processo de aterros e de arranjos citadinos. Através de 108 belíssimas representações deste importante espaço lisboeta é possível, aqui, ganhar uma visão completa do evoluir da zona do ponto de vista construtivo.

O MAR NOS LIVROS

Porto. A construção de um espaço marítimo no início dos Tempos Modernos

Editado pela Academia de Marinha, Lisboa, na sequência da obtenção do prémio "Almirante Sarmento Rodrigues", o livro de Amândio Barros analisa a evolução do espaço portuário do Porto entre finais da Idade Média e o início da Época Moderna, e os seus principais projetos marítimos e comerciais.

O MAR NOS LIVROS

A Costa dos Tesouros - Descobrir uma história preservada há séculos no fundo do mar português

Há muito que os navios afundados nas costas portuguesas do continente e das ilhas mereciam um livro destes, profusamente ilustrado e dirigido ao grande público, mas escrito de uma forma rigorosa e fundamentada.
Resultando de vários anos de investigação paciente e organizada, durante os quais a Mónica Bello entrevistou dezenas de pessoas, vasculhou dezenas de bibliotecas e alfarrabistas, mergulhou em vários continentes e investigou os arquivos do Centro Nacional de Arqueologia Náutica e Subaquática e a Biblioteca de Marinha, este livro é uma introdução excelente ao tema dos navios afundados, mas também à história do mergulho e da arqueologia subaquática. Mas mais do que isso, este livro constitui ainda um trabalho extremamente atual sobre a situação do património cultural subaquático, em Portugal e no mundo, e introduz aos leitores, de forma realista e informada, os problemas relacionados com a luta mundial em curso na Unesco para a erradicação da caça ao tesouro.

O MAR NOS LIVROS

Os Últimos Navios do Império - Portugal no Mar

Com este novo livro, Os Últimos Navios do Império, o Arqt. Telmo Gomes aumenta a sua produção de pinturas sobre navios históricos portugueses, que Edições Inapa tem publicado desde 1995, constituindo uma colecção única com os livros-albuns Navios Portugueses- Séc. XIV a XIX, Embarcações Portuguesas e Navios Portugueses no Oriente. O autor afirma : «Os navios como as pessoas têm alma, e perdura depois através dos tempos, como uma recordação...». E são essas recordações que com este livro propomos relembrar.Eles foram protagonistas das pequenas histórias,gloriosas umas,tantas vezes dramáticas outras,que aqui narramos; são pedaços das suas «vidas» abnegadamente, servindo a Marinha de Portugal.

SUGESTÃO DE LEITURA

Terminal de Cruzeiros de Lisboa

Obra que reúne todos os projectos que estiveram a concurso para a construção da obra do novo Terminal de Cruzeiros de Lisboa, localizado em Santa Apolónia, concurso este promovido pela APL - Administração do Porto de Lisboa.
Este concurso foi ganho pela proposta apresentada por João Luís Carrilho da Graça mas contou com outras propostas também muito interessantes como as de Gonçalo Byrne + Manuel Aires Mateus, Guillermo Vazquez Consuegra e Zaha Hadid, entre outros. O livro apresenta o estudo de cada proposta elaborada por cada atelier.

SUGESTÃO DE LEITURA

Os Pescadores, de Raul Brandão

Esta é uma das mais belas obras de Raul Brandão, é resultado do seu conhecimento da vida do mar. Nesta obra, o autor revela-se capaz de captar e transmitir todas as gradações da cor e da luz, oferecendo-nos belas telas dos vários elementos colhidos na Natureza. São crónicas onde se cruzam as memórias do escritor e onde comparece, de modo inigualado, o País litoral.

SUGESTÃO DE LEITURA

Grandes Naufrágios Portugueses (1194- 1991)

A História da Expansão Portuguesa foi pautada por batalhas épicas, pelo domínio dos oceanos pelas nossas naus e pela conquista de novos continentes, mas há sempre um reverso da medalha que fica por contar. A história dos naufrágios e da luta contra o mar, um adversário intempestivo e imprevisível.

SUGESTÃO DE LEITURA

A Nazaré dos Pescadores

A modernização da Nazaré, com o consequente abandono da actividade piscatória, tem sido acompanhada de uma profusão de discursos identitários. Actualmente, a pesca tem já uma importância residual na economia local; e o mar, que continua a ser o grande recurso que alimenta a indústria turística, cumpre, para os nazarenos, uma função ontológica como âncora identitária.

SUGESTÃO DE LEITURA

Portugal no Mar - Batalhas e Combates da Marinha

Com esta obra, assistimos ao renascer de uma época adormecida, marcada por notáveis serviços prestados pelo imenso património das marinhas portuguesas, património esse praticamente desconhecido, mas magnificamente representado por Telmo Gomes, um dos mais credenciados modelistas de navios da Europa, e o melhor artista português de temas com o mar relacionados.

SUGESTÃO DE LEITURA

Os Navios da Noite, de João de Melo

A meio de uma viagem de cruzeiro, o paquete de luxo passa do sonho anunciado aos pesadelos inauditos do mar, convertendo-se num navio fantasma. O cego, a quem devolvem a visão, perde-se no novo mundo visível e opta por voltar aos passos perdidos da cegueira. E há os loucos que amam e odeiam o manicómio nos labirintos da própria loucura; o velho hipocondríaco que esconde um déspota naufragado na sua solidão; José Maria Eça de Queirós de volta a Lisboa, em pleno século XXI; mulheres traídas ora pela doença, ora pelas ingratidões do corpo; entre muitas outras figuras que parecem assombradas pelas fragilidades da condição humana.

SUGESTÃO DE LEITURA

Romeiros dos Oceanos

Leio os primeiros versos e fico cativado. Com as mesmas ferramentas de Camões, Vítor Cintra percorre a história marítima de Portugal.
Em poucas linhas e em verso, traça o perfil dos nossos navegadores, descobridores e as vicissitudes das suas missões.
Começa pelo Infante que motivou este Povo a juntar saber, fé, força e coragem para ir além-mar em busca de outros Mundos e termina com Oliveira e Carmo, um herói do século passado que muito merece esta distinção.

SUGESTÃO DE LEITURA

O Misterioso Mundo dos Oceanos

Como se de um novo Capitão Nemo se tratasse, Frank Schätzing convidanos a fazer uma outra viagem de 20.000 léguas submarinas, para descobrir a relação entre os seres humanos e o misterioso mundo dos oceanos, que ocupa sete décimos do nosso planeta. Uma estranha relação essa, feita de ódio e amor, romantismo e ignorância, curiosidade e mistério. Como funciona este «grande sistema» de onde provimos todos e do qual sabemos tão pouco?

SUGESTÃO DE LEITURA

Navios da Antiguidade Da Pré-História à Idade Média

Os navios são como as pessoas. Morrem só fisicamente. Das pessoas fica a alma que se diz ser imortal. De algumas fica a história da sua vida. Dos navios, a alma morre com as suas tripulações, mas fica a história quando alguém a conta. E Telmo Gomes conta! Conta através de seis dezenas de preciosas aguarelas, um pouco da História fascinante das Marinhas. Os navios nas épocas antiga, medieval e moderna foram o mais importante meio de difusão cultural e comercial. Em grande parte foi pelo mar que se consolidaram os impérios da Grécia, de Roma e de Cartago pelo mar, os Vikings fizeram as suas surtidas, e os navegadores portugueses descobriram novos mundos.

SUGESTÃO DE LEITURA

«A Menina do Mar», de Sophia de Mello Breyner Andresen

«A Menina do Mar» é o primeiro conto de Sophia para a infância e foi editado, pela primeira vez, em 1958.
Tendo a praia como cenário, este conto revela-nos uma história de amizade entre um rapaz e a Menina do Mar. Cada um vive no seu mundo, o rapaz na terra e a menina no mar, mas a curiosidade de ambos leva-os a querer partilhar essas diferenças: a menina fica a saber o que é o amor, a saudade e a alegria; o rapaz aceita viver com ela no fundo do mar.

SUGESTÃO DE LEITURA

Mar Morto, de Jorge Amado

Nenhum outro livro sintetizou tão bem quanto Mar morto o mundo vibrante do cais de Salvador, com a rica mitologia em torno de Iemanjá, a rainha do mar. Personagens como o jovem mestre de saveiro Guma parecem prisioneiros de um destino traçado há muitas gerações: o dos homens que saem para o mar e que um dia serão levados por Iemanjá, deixando mulher e filhos a esperar, resignados.

SUGESTÃO DE LEITURA

A Vida de Pi - A viagem de uma vida

Quando Pi tem dezasseis anos, a família decide emigrar para a América do Norte num navio cargueiro juntamente com os habitantes do zoo. Porém, o navio afunda-se logo nos primeiros dias de viagem. Pi vê-se na imensidão do Pacífico a bordo de um salva-vidas acompanhado de uma hiena, um orangotango, uma zebra ferida e um tigre de Bengala. Em breve restarão apenas Pi e o tigre.

Total: 231
1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 [11] 12