Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




Dirigível poderá monitorizar zonas marítimas remotas

Recentemente, uma equipa do Clube de Estudantes da AFCEA (Associação para as Comunicações, Electrónica, Informações e Sistemas de Informação para Profissionais da Universidade da Beira Interior (UBI) apresentou publicamente um projecto, ainda em investigação, que pode vir a constituir um meio de vigilância para zonas remotas de difícil acesso, incluindo marítimas.

Navios autónomos navegarão o Báltico em 2030, prevê Comissão Europeia

De acordo com um estudo levado a cabo pela Comissão Europeia, existirão já em 2030 navios autónomos a navegar os mares do Báltico, mas o paradigma será mesmo a coexistência de navios a operar de forma convencional e embarcações munidas, parcialmente, de sistemas autónomos.

Navios autónomos navegarão o Báltico em 2030, prevê Comissão Europeia

De acordo com um estudo levado a cabo pela Comissão Europeia, existirão já em 2030 navios autónomos a navegar os mares do Báltico, mas o paradigma será mesmo a coexistência de navios a operar de forma convencional e embarcações munidas, parcialmente, de sistemas autónomos.

Portugueses põem drones subaquáticos a decidir sozinhos

Investigadores portugueses estão a desenvolver um conjunto de programas informáticos para permitir que diferentes modelos de drones subaquáticos comuniquem entre si e, em rede, com veículos não tripulados de superfície e aéreos.

Sindicatos receiam automatização de portos e transporte marítimo

Ensaios recentes relacionados com o transporte marítimo autónomo despertaram alguns sindicalistas, que temem os efeitos do fenómeno, bem como da automatização dos portos. Uma realidade que parece cada vez mais próxima, mas cujas vantagens os sindicatos entendem que estão por provar

Europa levanta o véu para a nova era dos navios autónomos

Foi pela voz de Violeta Bulc, Comissária Europeia dos Transportes, que a União Europeia mostrou a sua visão para o desenvolvimento daquilo que se perspectiva ser uma nova era do ‘shipping’, dominada pela automação e pelos navios autónomos. Embora entusiasmada com as perspectivas futuras, a Comissária alerta que os postos de trabalho que hoje conhecemos mudarão radicalmente.

ESTA QUARTA-FEIRA

Os desafios e oportunidades do Mar Português em debate no Porto

“A Engenharia Oceânica: desafios e oportunidades” é o tema que vai juntar cerca de 200 pessoas na Biblioteca Almeida Garrett, no Porto, esta quarta-feira, dia 11 de outubro, a partir das 10h30. A economia do mar representa 3% do PIB nacional e é um dos poucos setores nacionais em que a matéria-prima é portuguesa. A organização do evento é do Instituto de Engenharia de Sistemas e Computadores, Tecnologia e Ciência (INESC TEC), no âmbito do evento anual “Fórum INESC TEC do Outono”.

REP 13

Maior exercício naval de veículos não tripulados

A Marinha, em parceria com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto (FEUP), está a realizar até 19 de julho, nas zonas de Sesimbra, Setúbal e Portimão, o exercício “Rapid Environmental Picture 2013” (REP13), tendo em vista a avaliação em ambiente real das novas capacidades proporcionadas pelos veículos autónomos – submarinos, de superfície e aéreos – bem como das tecnologias que lhe estão subjacentes, no âmbito de operações navais e aeronavais.

Noruega quer construir laboratório marinho futurístico

Lembrando a ligação histórica do país com os mares, e vislumbrando a dependência futura dos recursos oceânicos, pesquisadores e engenheiros da Noruega apresentaram a proposta inicial de um super-laboratório marítimo, que tem um objectivo bem claro: transformar o país num líder internacional em pesquisa e desenvolvimento de tecnologias marinhas.

Veículos Submarinos Autónomos na Marinha Portuguesa

Destacamento de Mergulhadores Sapadores N.º 3 efectua testes de aceitação com um AUV (Veículos Submarinos Autónomos), no âmbito do protocolo com a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto.

Total: 31
1 [2]