Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Tripulantes de navios têm novo regime fiscal “mais favorável”

O Conselho de Ministro aprovou dia 13 de Julho uma proposta de Lei de Autorização Legislativa que autoriza o Governo a aprovar um regime especial de determinação de matéria colectável com base na tonelagem de navios e embarcações e um regime fiscal e contributivo aplicável aos tripulantes.

Diz o Executivo que a autorização legislativa em causa “permitirá ao Governo criar um regime de incentivos à actividade de transporte marítimo com vista à criação de riqueza, de emprego e da promoção do trabalho marítimo, bem como aumentar a frota marítima nacional, permitindo igualar as condições de competitividade nacional com as condições de competitividade existentes na maioria dos países da União Europeia e do Espaço Económico Europeu”.

IRS mais favorável

Na prática, diz o fonte do Ministério do Mar, trata-se de um regime fiscal e contributivo específico para os respectivos tripulantes, que prevê uma isenção de IRS e a aplicação de uma “taxa contributiva mais favorável”.

A medida aprovada “visa honrar o compromisso do Programa do XXI Governo Constitucional, de apoio ao desenvolvimento da marinha mercante nacional”, com vista ao alargamento do mercado português de transporte marítimo e ao “desenvolvimento dos portos nacionais e da indústria naval, à criação de emprego, à inovação do sector e ao consequente aumento da receita fiscal”, adianta a mesma fonte.

Com a medida, diz o Ministério do Mar, pretende-se “melhorar as condições de competitividade nacional, potenciando a atração para Portugal de armadores, navios e embarcações que criem oportunidades de emprego e contribuam para o crescimento da economia do mar”.

fonte