Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Tecnoveritas instala tecnologia Optipower em rebocador da Svitzer

Especializada em soluções para a indústria marítima, a empresa portuguesa Tecnoveritas instalou neste Verão a tecnologia Optipower bordo de um rebocador da Svitzer.

Em Agosto, a TecnoVeritas, empresa portuguesa especializada em soluções de engenharia para a indústria marítima, instalou duas unidades da tecnologia Optipower para medição de binário e impulso (torque e thrust) do veio no rebocador Ormsby Cross, da multinacional Svitzer, em Newcastle, no Reino Unido.

Segundo a empresa, “cada unidade foi instalada numa linha de veio do rebocador e foram integradas no sistema de monitorização fornecido pela Royston, de Newcastle”. Ambas as unidades “permitem monitorizar, em termos de performance, o sistema de propulsão do rebocador”, refere a Tecnoveritas, acrescentando que “simultaneamente, é medido o combustível e outras variáveis operacionais”.

Conforme nos esclareceu a empresa, “o Optipower é uma ferramenta fundamental para optimização da performance de um navio, tendo a vantagem de monitorizar a eficiência do sistema de propulsor e logo optimizar o impacto ambiental do navio”. Além disso, “ao conhecer a potência ao veio e o impulso, o operador consegue encontrar vários pontos de optimização do navio”, como a potência média, o impulso médio, os tempos de espera, a velocidade, entre outros.

Paralelamente, esta tecnologia “consegue facilmente separar eficiências do sistema propulsor, casco e hélice do navio”, esclarece a empresa. Actualmente, o Optipower “é integralmente desenhado e fabricado em Portugal, estando instalado a bordo de navios mercantes e de guerra à volta do mundo”, apenas com um concorrente internacional, referiu-nos a Tecnoveritas.

Entretanto, a empresa continua a actualizar o seu sistema Boem-s (Blue Overall Energy Monitoring System) instalado na empresa nacional de reboques marítimos Rebonave. O sistema é uma plataforma global de gestão de desempenho, cuja actualização se faz de acordo “com a experiência de utilização, procurando a máxima aplicabilidade do programa na operação de manutenção da frota da empresa”, refere a Tecnoveritas.

Segundo a Tecnoveritas, “o Boem-s foi selecionado pela Rebonave devido à ampla aplicação que possibilita, permitindo o início do plano de digitalização de informação que a empresa objectivava desenvolver”. Conforme explica a Tecnoveritas, a plataforma permite monitorizar “indicadores chave, gestão técnica, gestão de processos, gestão de tripulações, planeamento de rotas com indicação climatérica (aplicável aos rebocadores oceânicos)”.

No caso da Rebonave, “a empresa decidiu iniciar o processo através da implementação do módulo de gestão de manutenção”, esclareceu-nos a Tecnoveritas, sublinhando que a implementação do sistema surgiu com o interesse daquela em aumentar a eficiência das acções de planeamento da manutenção e a gestão de documentos, “simplificando a comunicação e tarefas dos colaboradores responsáveis pelas acções a tomar”.

Tal simplificação justifica-se porque o Boem-s é uma plataforma web based Cloud, “acessível através de PC, tablet ou telemóvel com ligação à internet”, refere a Tecnoveritas. A empresa nota ainda que “nos casos da operação da plataforma em navios que em navegação não lhes seja possível o acesso à internet, é possibilitada uma instalação a bordo com a informação sincronizada com a data da partida”.

A Tecnoveritas explica também que “com o decorrer das tarefas e com o acumular de experiência, o Boem-s regista e aprende todas as alterações decorridas das operações de manutenção, por análise das alterações dentro das ordens de trabalho semelhantes, permitindo à equipa de manutenção ter uma noção real dos tempos e custos necessários a cada intervenção”.

Posteriormente, “com a monitorização transversal dos navios, monitorizando a performance”, a Rebonave “poderá optimizar os gastos na manutenção, cruzando o comportamento técnico dos equipamentos com a necessidade efetiva de manutenção, aprendendo, com a experiência, a evitar falhas, e por outro lado, a aumentar intervalos entre ações de manutenção”.

Segundo nos explicou a Tecnoveritas, o sistema “encontra-se instalado também nos navios da Transinsular, Patrulhões da Armada e a bordo de navios de passageiros como os famosos SS DELPHINE ou o Ex-Atlântida”.

fonte