Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Portos nacionais alcançam recorde de 15,9 milhões de toneladas até Fevereiro

A AMT - Autoridade da Mobilidade e dos Transportes divulgou os resultados relativos à movimentação portuária no mês de Fevereiro. Os números mostram que nos dois primeiros meses do ano, os portos nacionais ficaram muito perto dos 16 milhões de toneladas (+17,1% face ao período homólogo de 2016), conseguindo assim uma movimentação record para o período em questão.

O Porto de Sines aparece como grande impulsionador, uma vez mais, do sector portuário nacional mas, ao contrário do acumulado anual de 2016, já conta com vários portos a seu lado na tendência de crescimento - são os casos do porto de Lisboa, de Leixões e de Aveiro. Mais concretamente, o Porto de Sines conseguiu um crescimento de 30,4% (já com quase 2,4 milhões de toneladas), sendo seguido no crescimento pelo Porto de Lisboa (+17,3%, com +263,4 mil toneladas), pelo Porto de Aveiro (com +7,8%) e pelo Porto de Leixões, com +4,2%.

Já os restantes portos registaram variações homólogas negativas. Aqui o destaque vai para Setúbal (com menos 13,4%), juntando-se ao Porto da Figueira da Foz (quebra de -8,4%), Viana do Castelo (-32%) e Faro (-48,7%).

fonte