Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Os tesouros do fundo do mar

O Aqui Há História vai mergulhar no Portugal submarino em busca de navios, naus, galeões afundados ao longo da costa portuguesa. O programa passa no Jornal da Noite, na SIC, às quintas-feiras.

 

A história do ataque do impiedoso comandante alemão Lapiere, bem como a façanha do pequeno rebocador Galgo, ao serviço da Marinha portuguesa, que resgatou ao mar os tripulantes dos navios naufragados, é o tema central de um episódio da SIC, de uma série de quatro reportagens especiais sobre naufrágios, a serem emitidas todas as quintas-feiras de julho, no final do Jornal da Noite.


Aqui Há História mergulhará primeiro no Highland Hope, que, nos anos 30, encalhou nos Farilhões, junto às Berlengas. Quase 90 anos depois, é ainda possível reconstituir a noite em que meio milhar de passageiros foram salvos pelos pescadores de Peniche – os mesmos que acabaram por ficar com parte do recheio do navio que ligava a Europa à Argentina.


Na foz do Tejo, junto ao Bugio, a SIC mostrará o que resta do Patrão Lopes, o navio herói do salvamento nacional, que se perdeu à vista de Lisboa em 1936. O último mergulho transporta-nos à II Guerra Mundial, ao afundamento de um cargueiro britânico ao serviço do esforço de guerra, o SS Dago, atingido por um bombardeiro alemão que, violando o espaço aéreo português, saiu de França, sobrevoou Espanha e desferiu um ataque aéreo sobre o SS Dago, ao largo de Peniche.

fonte