Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.

Navio Patrulha Oceânico Figueira da Foz em missão no mar dos Açores

O Navio da República Portuguesa (NRP) Figueira da Foz encontra-se em missão na Região Autónoma dos Açores, com a duração de 3 meses.

A missão tem como objetivos prioritários responder a pedidos de busca e salvamento marítimo no mar dos Açores, prestando  assistência a pessoas e embarcações em perigo em caso de necessidade, bem como vigiar e patrulhar os espaços marítimos da Região Autónoma dos Açores.
 
O navio tem igualmente capacidade para apoiar a proteção civil e demais autoridades regionais para auxílio à população em caso de catástrofe natural ou calamidade. 
 
Regressando à região um ano após a sua segunda missão nos Açores, realça-se o excelente desempenho do navio na atividade de fiscalização marítima contribuindo indubitavelmente para a proteção do valioso ecossistema marinho da região, garantindo assim a sustentabilidade dos recursos naturais para as futuras gerações.
 
O Navio Patrulha Oceânico Figueira da Foz é o segundo navio da classe Viana do Castelo, é comandado pelo capitão-tenente António Guardado Neto e tem embarcados cinquenta militares, incluindo uma equipa de fuzileiros e uma equipa de mergulhadores. O navio permanecerá nos Açores até ao final do mês de dezembro.