Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística



Notícias

SE A VIA FERROVIÁRIA CHEGAR AO POCEIRÃO

Sines pode ser primeiro porto Atlântico a ligar-se à UE

O Porto de Sines tem todas as possibilidades de ser o primeiro porto de águas profundas, na fachada do Oceano Atlântico, a possuir uma ligação ferroviária em bitola europeia. Esta grande possibilidade resulta das opções que foram tomadas no país vizinho, Espanha.

A nova via que está em construção, na Galiza, desde Orense-Puebla de Sanabria-Valladolid é exclusiva de passageiros, mas tem sido considerada uma decisão precipitada. Por esta razão, os portos da Galiza só poderão estar ligados à Europa e sem transbordos num prazo mais longo. Outro porto importante de águas profundas é o de Algeciras, que só se vai ligar à nova rede quando estiver concluído o corredor ferroviário do Mediterrâneo, que ligará França-Barcelona-Valência até Algeciras. Este novo corredor só será construído através das verbas do futuro pacote financeiro 2014 a 2020, para as redes transeuropeias de transporte TEN-T.

Ao contrário, Sines pode beneficiar das verbas do actual pacote financeiro 2007-2013, que já tem reservado 800 milhões de Euros para o PP3 (projecto prioritário nº-3) que diz respeito à ligação Madrid-Lisboa e onde está incluído o novo troço Poceirão-Caia. Se esta obra avançar durante o ano de 2012, a sua conclusão poderia ocorrer em 2015, o que faria de Sines um porto ainda mais interessante, pois já teria ligação à Europa. Poderia, assim, antecipar-se por vários anos, relativamente a outros portos concorrentes.

O corredor PP3, Madrid-Badajoz-Lisboa, consistirá numa via dupla de bitola europeia, mista de mercadorias e passageiros, com sinalização ERTMS e electrificação de 25 mil volts e corrente alterna.

Uma das características principais desta nova linha é a capacidade de poderem circular comboios de mercadorias com 750 metros de comprimento. Esta nova opção vai permitir a redução nos custos do transporte na ordem dos 40%. A actual rede de bitola ibérica não permite a circulação destes comboios de mercadorias.

Nova via tem que ir até ao Poceirão

Os contentores são transportados por via marítima, ferrovia e rodovia. Estes três modos de transporte possuem uma rede. Cada uma destas redes é organizada por nós que, na ferrovia, são as plataformas logísticas ou as estações ferroviárias, no marítimo, são os portos. Os nós podem ser considerados como pontos onde é possível mudar de rede. Os três nós mais importantes a que a nova rede de bitola europeia vai ligar-se são os seguintes:

- Poceirão que é um nó de mercadorias porque naquele ponto se cruzam diferentes vias ferroviárias. É o local onde está prevista uma plataforma logística.

- Porto de Setúbal. É um porto multiusos que tem excelentes condições para importação e exportação de automóveis. A Auto-Europa tem uma ligação ferroviária para este porto de mar.

- Porto de Sines. É um porto de águas profundas que é cada vez mais um porto de baldeação ou transferência de contentores “transhipment”.

As condições necessárias para ligar estes três nós à nova rede de bitola europeia, de modo a permitir uma forte redução dos custos de transporte passará pela circulação de comboios de mercadorias com 750 metros de comprimento e por a via possibilitar o livre trânsito de todos os comboios de bitola europeia.

A única solução que poderá resolver estes graves constrangimentos passa por prolongar a via dupla desde Badajoz até ao Poceirão e, depois, através de uma via única, em bitola europeia, efectuar a ligação aos portos de Sines, Setúbal e à Auto-Europa.

Qualquer outra opção que já foi defendida por alguns responsáveis propondo só construir a nova via até Évora ou Vendas Novas, não poderia ser solução temporária pois nunca iria cumprir os requisitos necessários, anteriormente referidos.

Também a solução anunciada pelo actual Secretário de Estado dos Transportes, Sérgio Monteiro, que defendeu a construção de uma linha com uma via única de bitola europeia e outra via única de bitola ibérica não se justificaria, pela simples razão de já existir desde Évora-Estremoz-Badajoz uma via de bitola ibérica.

Por outro lado, não existe interesse em conectar mais directamente a região de Lisboa ao porto de Algeciras por Badajoz-Puertollano-Algeciras, pois este porto já é concorrente de Sines. Corre-se o risco de Algeciras vir a servir a região de Lisboa.

Para Portugal não ficar dependente de Espanha, só convém que as novas ligações internacionais sejam em bitola europeia para ter acesso ao resto da Europa.

Cimeira luso-espanhola em 2012 é decisiva

Em 2012, vai realizar-se uma Cimeira luso-espanhola onde vão ser tomadas importantes decisões. Uma delas será certamente sobre o projecto do troço Poceirão-Caia, que faz parte do PP3 e que servirá os dois países ibéricos. Se Portugal não cumprir aquilo que assumiu e assinou nos três anteriores Governos, perderá, para sempre e para outros países, as verbas do pacote financeiro 2007-2013, a que tem direito.

Sines, na próxima Cimeira luso-espanhola, vai ter uma oportunidade única para ser o primeiro porto de águas profundas da fachada atlântica com duas bitolas. A única forma de atingir tal objectivo passa por prolongar a via dupla desde Badajoz até ao Poceirão.

Rui Rodrigues, Carga & Transportes, Público


 


Visite o Canal da Associação
dos Portos de Portugal no YOUTUBE

Estamos no Facebook, no Twitter e no Slideshare.


Conheça o portal da Associação dos Portos de Língua Portuguesa (APLOP)