Portos de Portugal
Viagem ao Centro do Mundo

Porto de Viana do Castelo,
Alberga o maior estaleiro do País

Porto de Leixões
Referência na Região Norte do País

Porto de Aveiro
Uma solução Intermodal competitiva

Porto da Figueira da Foz
Promotor da Economia da Região Centro

Porto de Lisboa
Atlantic Meeting Point

Porto de Setúbal
Solução Ibérica na Região de Lisboa

Porto de Sines
Porta do Atlântico

Portos da Madeira
O Paraíso dos Cruzeiros

Portos dos Açores
A sua plataforma no Atlântico

Quem Somos

A APP – Associação dos Portos de Portugal é uma Associação sem fins lucrativos constituída em 1991, com o objectivo de ser o fórum de debate e troca de informações de matérias de interesse comum para os portos e para o transporte marítimo.

Pretende-se que a APP contribua para o desenvolvimento e modernização do Sistema Portuário Nacional, assumindo uma função que esteve subjacente à sua criação: constituir-se como um espaço privilegiado de reflexão e de decisão.



Newsletter

Clique aqui para se registar na newsletter.

Clique aqui para sair da newsletter.

Janela Única Logística




«COSTA CONCORDIA» E «TITANIC»

Há quem faça comparações entre os dois naufrágios

Alguns dos sobreviventes do acidente do Costa Concordia comparam o naufrágio do navio italiano, que tombou após bater numa rocha na costa da Ilha de Giglio a 13 de Janeiro, com o do Titanic.

NEM O SR. ROGÉRIO ESCAPOU!

Tollan virou nome de cafés, restaurantes e deu azo a muitas anedotas

O Tollan permaneceu quase três anos no Tejo. Os lisboetas, mas não só, tomaram o gosto ao “encalhado”, ali fazendo triste figura, de barriga para o ar, e vai de o integrar no anedotário nacional. Deu nome a cafés e restaurantes, sempre com um “L” a menos; inspirou cartoons, nomeia blog e até tem direito a página nostálgica no Facebook.
“Havia um cromo no meu bairro que tb encalhava muito, sobretudo depois de vir da tasca. Chamávamos- lhe Sr. Rogério Tolan…”
 

FRAGATA «FILADELFIA» CAPTURADA A 16 DE FEVEREIRO DE 1804

Lembrando outras guerras no Porto de Trípoli

Em 1803, os combatentes tripolitanos capturaram a fragata americana de Filadélfia e tomaram o seu comandante, o capitão William Bainbridge, e toda a tripulação como réfens. A Filadélfia converteu-se num navio contra os norte-americanos e esteve ancorada no porto de Trípoli com uma bateria de canhões. No ano seguinte, o tenente Stephen Decatur, da marinha americana, encabeçou uma incursão noturna para voltar a tomar o barco. Os homens de Decatur pegaram fogo à Filadélfia e escaparam.

«SS Gairsoppa» (COM VÍDEO)

Navio de carga afundado por nazis cheio de prata

A sociedade norte-americana Odyssey, especialista na recuperação de navios naufragados, anunciou na quinta-feira ter descoberto importantes quantidades de prata a bordo de um navio de carga britânico afundado por um submarino alemão durante a II Guerra Mundial.
Num comunicado, a empresa Odyssey Marine Exploration revelou ter retirado até ao momento do SS Gairsoppa, que repousa a 4700 metros de profundidade no Atlântico Norte, no sudeste da Irlanda, cerca de 43 toneladas de prata. O navio fazia a ligação entre Londres e Calcutá, quando foi afundado em fevereiro de 1941.

TITANIC, UMA HISTÓRIA DE AMOR

CENTENÁRIO DO NAVIO - Filme volta aos cinemas em 3D a 6 de Abril de 2012

O sucesso de bilheteiras "Titanic" vai voltar aos ecrãs de cinema, a 6 de Abril de 2012, desta feita em 3D, anunciou hoje, quinta-feira, a produção. A Paramount Pictures, a Twentieth Century Fox e a Lightstorm Entertainment explicaram em comunicado que a data de estreia foi escolhida propositadamente, já que a 10 de abril de 2012 faz cem anos que o navio transatlântico zarpou do porto de Southampton, no Reino Unido, antes de chocar, a 15 de Abril de 1912, com um icebergue e se afundar, no trajecto para Nova Iorque.

 

Corte orçamental de 30% obriga Turismo a vender caravela Boa Esperança

A caravela Boa Esperança, há 11 anos ao serviço do Turismo do Algarve para viagens promocionais da região, vai ser vendida ou alugada por aquele organismo devido ao corte de 30% no orçamento deste ano. Por ordem da tutela, a Entidade Regional de Turismo do Algarve (ERTA) terá este ano um corte de 30% em relação aos 6 milhões de euros previstos no Orçamento do Estado, ficando com uma verba de 4,17 milhões de euros para todas as despesas da instituição.

 

NAVIO GIL EANNES

A «Misericórdia do Mar»

Chamaram-lhe, nos seus tempos áureos, a “Misericórdia do Mar”, em reconhecimento do seu contributo junto da frota bacalhoeira portuguesa que fazia a faina nos mares do Norte.
Foi projectado e construído nos Estaleiros Navais de Viana do Castelo em 1955. É nesse ano que tem início a sua missão de assistência médica aos pescadores de toda a frota bacalhoeira portuguesa e de outros países, nos mares da Terra Nova e Gronelândia. No entanto, este navio não desempenhou unicamente a função de hospital; também foi navio-capitania, navio-correio, navio-rebocador e quebra-gelos, tendo garantido abastecimento de mantimentos, redes, material de pesca, combustível, água e isco aos barcos de pesca do bacalhau.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA | 2011

COM UM DOODLE INTERACTIVO | Aniversário de Júlio Verne celebrado pela Google!

Júlio Verne nasceu a 8 de Fevereiro de 1828. A Google resolveu celebrar a data, substituindo o logótipo clássico por um Doodle que é uma gracinha. O logo foi estilizado, surgindo hoje em forma de escotilha de submarino, recordando “20.000 Léguas Submarinas”. Mas há mais: os cibernautas podem comandar o “Nautilus”, navegando para a direita, para a esquerda, subindo à superfície ou descendo até às profundezas do oceano. E tudo porque este doodle vem equipado com um comando muito especial...

POR LUÍS MIGUEL CORREIA

Maurício de Oliveira e a «Revista de Marinha»

A 31 de Janeiro de 1937 saiu o primeiro número da Revista de Marinha, uma publicação que tinha como Director Maurício de Oliveira, um jornalista cheio de entusiasmo pelos assuntos do mar, então com 27 anos.
Desde o começo da actividade jornalistica que deu especial atenção aos assuntos de marinha, lutando contra o "zero naval" dos anos vinte, desdobrando-se em actos de divulgação e propaganda no sentido do regresso de Portugal ao mar. Organizou exposições e debates, escreveu centenas de artigos e foi autor de 35 livros sobre a temática naval, alguns dos quais registaram diversas edições, inclusivé em línguas castelhana e inglesa.

1 DE FEVEREIRO DE 1758

Criado o Serviço de Faróis em Portugal

Até ao reinado de D.José I a sinalização marítima era quase inexistente e a que havia estava a cargo de particulares, que acendiam fogos nos pontos mais altos ou visíveis servindo de aviso e orientação, ou então, com intuito de assaltarem os mais incautos, faziam-nos esmagar contra as falésias ou baixios. Contudo, só em 1 de Fevereiro de 1758, por alvará do Marquês de Pombal, passou o serviço de farolagem a ser uma organização oficial, cometida à Junta do Comércio, na sequência do qual foi ordenada a construção de faróis, dos quais o primeiro foi o de Nossa Senhora da Luz, em 1761 .

REVOLTA DO 31 DE JANEIRO

Conselhos de Guerra em navios fundeados ao largo de Leixões

(...) Os julgamentos processaram-se em navios da Armada, fundeados ao largo de Leixões. Mais de cinco centenas de militares e numerosos civis compareceram a Conselho de Guerra. Houve duas centenas de condenações, com penas que oscilaram entre os 18 meses e os 15 anos de prisão.

31 DE JANEIRO DE 1953

Naufrágio do «Princess Victoria»

A 31 de Janeiro de 1953 o navio "Princess Victoria" afundou-se no Canal do Norte (entre a Escócia e a Irlanda do Norte), durante uma forte tempestade. Cerca de 130 pessoas perderam a vida.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA

Estação Naval de Leixões

A defesa da Barra do Douro e de Leixões foi iniciada em 12 de Março de 1916 pelo Chefe do Departamento Marítimo do Norte, Capitão de Mar e Guerra Cunha Lima, e consistia numa barragem de rede metálica à entrada do porto de Leixões, uma peça e um projector no Extremo do molhe Sul do mesmo porto. As redes anti-torpedo utilizadas foram do tipo Bullivan10. As redes eram fixas numa ponta no molhe norte e móveis na outra através de um rebocador.

19 DE FEVEREIRO DE 1857

Viajando pela história do Porto de Sines

Projecto do engenheiro Barcellos Machado — A 19 de Fevereiro de 1857 foi presente ao governo um novo projecto, elaborado pelo capitão C. Barcellos Machado, com o fim de proporcionar mais abrigo aos navios que vão ao porto de Sines.

VIAJANDO PELA HISTÓRIA | 28.01.1608

Nasce Giovanni Borelli | Biomecânica, Barbatanas e Submarinos

As primeiras referências às barbatanas aparentemente são de aproximadamente 1680, na obra do médico italiano Giovanni Borelli (1608-1679), famoso por ter previsto diversos avanços da ciência que só viriam a tornar-se realidade muitos anos depois. Borelli estudou os movimentos de diversos animais (incluindo homens, focas, sapos e peixes) e projetou um equipamento que permitiria ao homem permanecer debaixo d’agua por muito mais tempo ou, nas suas palavras, “andar no fundo como um caranguejo, ou nadar como um sapo com suas mãos e pés”.

Base Naval de Lisboa

A Base Naval de Lisboa compreendia, para além dos serviços centrais administrativos, a Divisão Naval e Aviação Naval e a Superintendência do Serviço Naval de Defesa Marítima, criada por decreto de 17 de Abril de 1916, à qual competia a defesa da Barra de Lisboa por intermédio dos seguintes organismos: Barragens, Pilotagem, Submarinos, Lança-minas, Batarias de Costa e Postos de Vigilância. Em Dezembro de 1917 foi adicionado mais um serviço, o Serviço de Fiscalização das Docas, chefiado pelo Capitão-de-fragata Moreira Rato.

O Arsenal Real da Marinha de Lisboa

Por alvará de 16 de Novembro de 1755, a Ribeira das Naus passou a ser designada 'Arsenal Real da Marinha'. A construção do Arsenal de Marinha começou no ano de 1759, em terreno que fora ocupado por uma parte dos Paços Reais da Ribeira, tornados em completa ruína pelo terramoto de 1755, e sobre o próprio local das antigas

VIAJANDO PELA HISTÓRIA | NOVEMBRO 1936

Empresas de navegação resistem ao uso do «Container»

"Tem sido as empresas de navegação, com algumas excepções aliás, que têm oposto maior resistência ao uso do Container, principalmente o regresso dêstes vzios, sem frete de retorno. Além disso a demora do regresso é grande, quer no transporte internacional, quer no fluvial por influência dos gêlos ou de falta de água na estiagem.
É assunto que está sendo estudado".

RECORTES DA HISTÓRIA | JANEIRO 1965

A cibernética ao serviço do caminho de ferro

A ideia de uma aplicação da cibernética ao caminho de ferro, quando foi exposta, encontrou um certo cepticismo. Pelo rigor das suas regras de exploração, o caminho de ferro é a própria imagem da precisão, e esta «cibernetização» aparecia a muita gente como uma auréola de uma certa imprecisão tanto nos seus objectivos como nas modalidades da mutação a empreender.

26 DE FEVEREIRO DE 1926

Morre Jacinto Cândido, o ministro que deu o nome a uma fragata

Jacinto Cândido da Silva (Angra do Heroísmo, 30 de Novembro de 1857 — Lisboa, 26 de Fevereiro de 1926), mais conhecido por Jacinto Cândido, foi um jurista, magistrado e político português de origem açoriana que se distinguiu como Ministro da Marinha e Ultramar, cargo no qual criou a única força naval de que Portugal dispôs nos últimos séculos, e como fundador do Partido Nacionalista.
A Armada Portuguesa dedicou-lhe uma das suas corvetas (o NRP Jacinto Cândido) e o seu nome é recordado na toponímia da sua cidade natal de Angra do Heroísmo, na vila de Santa Cruz da Graciosa e ainda em Penamacor. A cidade de Díli, capital de Timor-Leste, também lhe dedica uma das suas ruas, em memória do Decreto da Autonomia de Timor de 1896.

Total: 725